domingo, 30 de junho de 2013

SENHOR


...........SENHOR
Hoje vou bater à tua porta, em busca de um abrigo
Para que tu me aceites como uma humilde servidora que sou
Quero pedir-te perdão, estou à porta e tu deixaste-me entrar
Abriste o teu coração e deste-me um pedaço do Céu.
..........Olhei para os teus olhos
Senti as tuas mãos feridas, do amor que tens por nós
Quantas noites frias de solidão que passamos
Porque temos medo do teu amor.
A coroa de espinhos que feriram-te era minha Senhor
Deixe brilhar o que vem do céu ele é o caminho
E a paz que nos traz quando lhe abrimos a porta.
Obrigado por me abrires a porta e perdoa-me.
Por ter a minha porta fechada Senhor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

SENTIR O TEU BEIJO

SENTIR O TEU BEIJO

Quero amar-te e estar contigo esta noite
Como se não houvesse mais ninguém
Vou dançar na praia
E navegar no teu corpo, até ao por do sol
Vou passear contigo entre as estrelas
De abraços dados ao luar
Quando os meus lábios tocarem nos teus
A saber a sal e o cheiro da maresia na tua pele
As ondas sagradas vão chamar pela lua e pelos ventos
Dos teus desejos e dos teus sussurros
Que os teus lábios não conseguem guardar com o som do mar
Soltarás a nascente do fogo e da vida
Estenderás os teus braços para que eu adormeça
Sentirei o beijo da noite
Ouvirei as ondas e sentirei a brisa fresca
E assim sei, que fiz amor contigo meu amor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

NOJO DESTE MUNDO

 NOJO DESTE MUNDO

...........Sinto nojo
Deste mundo cruel para os idosos e crianças
Sinto nojo das mães que matam os seus filhos
Dos homens e mulheres que se matam mutua
dos homens e mulheres que se matam mutuamente.....

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=250784 © Luso-Poemas
dos homens e mulheres que se matam mutuamente.....

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=250784 © Luso-Poemas
dos homens e mulheres que se matam mutuamente.....

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=250784 © Luso-Poemas
dos homens e mulheres que se matam mutuamente.....

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=250784 © Luso-Poemas
Sinto nojo dos homens que casam com crianças
E que muitas vezes são maltratadas pela própria família
Sinto nojo dos violadores e dos pedófilos sejam
............Padres ou homens comuns
Deviam ser todos castrados ou capados
..............E fechados no inferno
Sinto nojo dos filhos que roubam os pais
............E que os maltratam
Sinto nojo e pena dos pais que não sabem amar os seus filhos
Sinto nojo de mim própria por virar a cara para o lado
Que mundo é este, que todos nós temos medo de olhar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


sábado, 29 de junho de 2013

HÁ PESSOAS

HÁ PESSOAS

Há pessoas que eu conheci e conheço.
Que passaram e passam pela minha vida
Que eu sempre gostei, que sabem tudo de ti
Quando estás triste ou alegre, só de olhar
Sem encostar um dedo, como se vissem a nossa alma
E das que entram inteiras sem interesse, com muita amizade e lealdade
Raramente encontrada, nos dias de hoje
Há outras que são a maior desilusão, cobras invejosas e maldosas
Lobos em pele de cordeiros
Que nos partem o coração e apunhalam-nos pelas costas

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

ESCURIDÃO

 ESCURIDÃO

A escuridão que beija a noite
.......Das almas perdidas no tempo
Que encontram-se na escuridão
..........Dos seus medos e do silêncio
É necessário libertá-las das trevas
.......No caminho para a luz
No sono da morte
.........O julgamento de Deus
Que seja misericordioso na nossa escuridão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

SUJAM


Os pântanos que sujam o corpo
A agua que lava a alma
A chuva que leva a lama
O vento que sente magoa
O mar afunda a nossa mente
O pó que cega os nossos olhos
A neve que gela o peito da nossa escuridão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


DESERTO DO CAMINHO

 DESERTO DO CAMINHO

..........Eu sou a chuva
Que lança a areia no deserto do Saara
Eu sou a sereia que dança, destemida e encantada
Sou um barco à deriva, sem leme ao deus-dará
Sou como a luz do amor que não consegue brilhar.
Sou a lua que se esconde entre as flores e os ramos
E o jardim fica escuro de repente a sufocar
Perco o rumo da ilusão e o caminho
É uma fogueira ardente, abrasadora, inflamada e sorrateira
Sou como um monge que mata a sua sede na mais pura água da fonte
Vou procurar o amor e não vou parar
Mesmo que o coração doa e dos meus olhos derramar uma lágrima
Só quando o coração parar de bater
O pensamento mais nada for
Vou beber a água cristalina da fonte, como uma sereia no fundo do mar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


sexta-feira, 28 de junho de 2013

SENHOR

 SENHOR

Senhor tu és meu amigo
Tu estás comigo
Nas horas difíceis da vida
Eu posso contar contigo
Tu és a minha força
A minha inspiração
Estás sempre presente
Na minha vida e na minha alma.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

"FLORES DOCES"

 "FLORES DOCES"

São as mais belas flores
..........As rosas, as orquídeas
Com a sua beleza e o seu perfume
..........Elas tocam os nossos corações
E levam-nos a compor estes, maravilhosos versos
..........O vento sopra e a folha cai
O momento fica e a noite é solidão
...........A lua e as estrelas que brilham
As lágrimas da chuva que invadem a rua
...........O por do sol sobre o mar, o barulho das ondas
Os campos com os pássaros a cantar
..........O cheiro da brisa do oceano no deserto
E o gosto de voar e dos nossos momentos de amar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


MENTIRAS

 MENTIRAS

.........Choro de amor
De alma perdida nesta noite
..........Escura que é a minha vida
Lágrimas de cristais, de sangue e água
.............Que escorrem dos meus olhos
Que cortam a minha alma ferida
.........E perdida neste rolo de mentiras
Escorrem e gelam, das palavras não ditas
Transformam-se em punhais, ferem-nos o corpo vazio
...........Estas lágrimas soltas, amargas e sofridas
São veneno para um coração, que procura sempre a verdade
E ficam com a saudade, de ver o amor verdadeiro com alegria
Dos corpos entrelaçados sem dor, sem magoa e sem mentira.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

VULCÃO MEU

VULCÃO MEU

Sou o mar e o sol
Sou a brisa e o vento
Sou a luz e a paixão
Sou a tempestade e o fogo
Sou a chama em erupção de um vulcão adormecido
Que conseguiste acordar e a lava ardente
Que o meu corpo te seduz
Só tu meu amor, conheces todo o meu ser.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quinta-feira, 27 de junho de 2013

SEMPRE

Sempre que levantar-se de manhã
Agradeça a Deus a vida
Se não tem o hábito de rezar
Tenha pensamentos de serenidade e otimismo
Por alguns momentos fique em silêncio.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

LOBO SOLITÁRIO

 LOBO SOLITÁRIO

Sou como um lobo solitário
Que precisa de amor
Nas noites de lua cheia
Que grita de saudade
Como se não houvesse
Noite nem dia
Ouve-se o vento
A gemer de paixão
O orvalho da noite
Que refresca o teu corpo quente
Nesta noite de luar e só tu para amar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

MEL DA TUA BOCA

 MEL DA TUA BOCA

As fragas
Deixam o eco da tua voz
As silvas
Deixam o teu corpo a sangrar
As urtigas
Deixam marcas no teu corpo
Que só o amor pode curar
As cerejas, são tão doces
Como os teus beijos
São o mel da tua boca
Que me deixa louca de amar-te ao luar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

BEIJO DE SAL

 BEIJO DE SAL

O sal dos teus lábios
Seria doce se estivesse juntos com os meus
Se nas tuas águas eu chorasse
Sentiria-me nos teus braços
O movimento e a suavidade das ondas
Como uma tempestade de verão
Quero sonhar e banhar-me nas tuas águas
E sentir a areia no meu corpo é como o sal da tua boca.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quarta-feira, 26 de junho de 2013

SENHOR DÁ-ME

Senhor.
Dá-me a capacidade de amar diante do ódio
Dá-me a força das ondas diante dificuldades
Dá-me a serenidade dos rios diante das tempestades
Dá-me a força das rochas diante dos obstáculos
Dá-me a doçura das flores diante das privações
Dá-me a humildade dos campos diante dos outros.
E se eu fraquejar Senhor perdoa-me
Permite-me que eu volte sempre a recomeçar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

NOITES SENTIDAS

 NOITES SENTIDAS

Há noites que as lágrimas sentidas
São do coração e das mãos vazias
Das horas vividas e passadas
Invasão de sentidos e sonhos
De um ser que quer dormir
Do sono que esqueceu-se de vir
Um pobre corpo que implora o sol da manhã
E sente a chuva a cair do céu
Há noite a alma e o corpo descansam
Com os desejos contidos nesta noite triste perco
A emoção e os meus passos é só vazio e solidão
Neste pobre coração.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

ALEGRIA

ALEGRIA

..........Que alegria saber
Que no teu coração existe um lugar
...........Especial para nós os dois
Meu amor, vejo-te em tudo que rodeia-me
Mesmo distante, nunca sais do pensamento
Nada é mais belo meu amor que estar nos teus braços
...........Sentir o calor dos nossos abraços
Trazes o brilho do sol, para aquecer o meu coração
A beleza do momento que ilumina os nossos corações
..............Meu amor, eu vou esperar
Mesmo que na saudade sinta dor, não deixarei de amar-te.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

FRESCAS E BELAS

FRESCAS E BELAS

As flores brilham, a chuva miudinha e leve
.............Molha-nos lentamente e acaricia-nos
Os raios penetram entre as folhas verdes das árvores
...............Enviados pelo sol, para iluminarem-nos
Será que alguma vez voltarei a encontrar-te
Nesta montanha encantada que eu construí nos meus sonhos
..............Sinto-me triste e sinto a tua ausência
Nunca ignore alguém que te ama que cuida de ti e sente tua falta
Porque quando perceberes que perdeste a lua
...............Enquanto contavas as estrelas
Afinal a vida é complexa e bela é como um céu azul com nuvens brancas
O sol brilha como uma bola de fogo, pronta a incendiar a minha alma
Começou a chover suavemente que se mistura com as lágrimas da saudade.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

terça-feira, 25 de junho de 2013

SENHOR

 SENHOR

Senhor, hoje quero falar contigo no silêncio
Tu sabes que muitas vezes, falamos muito mais em silêncio
Do que em milhares de palavras.
Eu aprendi a escutá-lo no meu silêncio
Não porque quisesse,mas porque necessitei.
E sabes aprendi a gostar dele
É preciso silenciar para ouvir principalmente a tua voz.
Falar é sempre muito importante, mas calar é soberano e majestoso
Haja o que houver,não desistirei, pois tu estás sempre comigo.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

BRISA DA NOITE

BRISA DA NOITE

A brisa da noite
São as lágrimas que eu queria, chorar e não consigo
Sinto o meu corpo vazio e cheio como o mar.
São as horas sombrias e na escuridão.
Amargura dos meus dias
São as palavras afiadas que fazem abrir
As feridas dos sentimentos e no coração
São as águas do rio que correm
Para o mar com direito a naufragar
São lágrimas que não choro, desta fonte limpa e pura...
São horas que imploro e os dias que já custam a passar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


MEU AMOR.....


Meu amor as lágrimas
.........De dor são rosas
Que trago para ti
.........Caídas dos meus olhos
Nesta noite escura
.....Como as almas que andam sozinhas.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

ACREDITE

ACREDITE

Acredite sempre nos seus sonhos
     - e nos seus potencias..
Nunca deixe que lhe digam
      - que não vale a pena acreditar.
Sonhe deixar de sonhar é deixar-se morrer.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

segunda-feira, 24 de junho de 2013

DOR NA ALMA

DOR NA ALMA

Como posso explicar-te, esta dor na minha alma
Esta dor no meu peito, esta vontade de chorar
O que eu posso fazer, para que tu entendas
Que a saudade invadiu o meu mundo
Tomou posse de mim e da minha vida
Deixando-me assim triste, com esta saudade que sinto
Do meu coração chamando-te, para ficares comigo
Mesmo sabendo que tu tens que ir
Como posso explicar meu amor
Como explicar esta dor, que eu sinto ao perder meu amor
A vontade de sentir os encantos de uma paixão
E voltar a sentir o meu coração
Como posso explicar esta dor da minha alma..
Senão dizer-te que és e foste a verdade
Mais verdadeira de toda a minha vida.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

NÃO ESQUECER

 NÃO ESQUECER

Quero pedir-te meu amor
Para que nunca te esqueceres de ir dormir
 - Sem dizeres que me amas
Sinto dor e saudade no meu coração
É uma dor como o vento que sopra, num dia de tempestade
   - Não sinto alegria,só sinto tristeza
Pergunto-me, o que faz-me sofrer ? Não sei..?
A única certeza que eu tenho
 -  é que eu quero é que me dês um abraço
Que recordes sempre do nosso primeiro beijo
Que não esqueças do nosso aniversário
Que nunca esqueças da nossa primeira noite
Que cuides de mim quando eu não estiver bem
 - E quando eu mais precisar de ti amor
Que estejas ao meu lado em todos os momentos
Que não me critiques e não me julgues, pois não sou perfeita
Quando eu estiver triste, faz-me sorrir e ama-me com carinho.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

RECUSO-ME


MICHEL QUOIST - Padre e escritor francês - 1921-1997.  

RECUSO-ME:
Recuso-me, Senhor, a aceitar que eu seja um peixe sem água, um pássaro sem céu, uma razão sem resposta razoável, uma estrada que não leva a parte alguma.
Recuso aceitar que o amor se reduza a um fenômeno químico e não prolongue além do último pulsar de um coração de carne.
Recuso aceitar que o maravilhoso caminhar da humanidade e do universo que vem desde a profundeza dos tempos e hoje nos atinge dirija-se para o nada.
Aceito, então, Senhor, tua Revelação divina como a esplêndida coroa de tua criação. Resposta de amor à minha questão essencial, não simples lenitivo para minhas inquietudes nem convite à evasão, à fuga do cotidiano, mas antes provocação ao enraizamento nesta terra donde a Vida jorrará.  
Livro: Jesus Cristo Marcou um Encontro Comigo - Michel Quoist

domingo, 23 de junho de 2013

PESSOAS


PESSOAS

Conheci e conheço
Pessoas que ensinaram-me amar
Pessoas que falaram-me sobre dor
Pessoas que ensinaram-me tudo sobre a coragem
Pessoas que me ensinaram amar a Deus
Pessoas que ensinaram-me dar amor ao próximo
Pessoas que amam-me mesmo como sou

Isabel Morais Ribeiro Fonseca



Conheci e conheço
Pessoas que me ensinaram amar a Deus
Pessoas que ensinaram-me dar amor ao próximo
 
Isabel Morais Ribeiro Fonseca


AMIZADE


AMIZADE

A amizade não é só feita de festas.
.......Ter um amigo é para todas as horas
Sejam elas tristes ou felizes.
.............O importante é saber 

Que existe alguém vai sentir a nossa falta.


Isabel Morais Ribeiro Fonseca

SENHOR OBRIGADO

 SENHOR OBRIGADO

 - Senhor.
Obrigado porque descansei.
Obrigado porque tive uma cama para descansar...
 - Há tantos que não têm.
Obrigado porque eu não tive sofrimento nesta noite...
Há tantos que terão tido.
Obrigado porque tenho uma família....
Quando há tantos que não têm.
Obrigado porque tenho filhos.....
Quando há tantos que não têm.
Obrigado porque tenho um teto, uma casa....
Quando há tantos que não têm.
Obrigado porque tenho trabalho....
Quando há tantos que não têm.
Obrigado porque não me rejeitas e amas.
Por mais indigna que eu seja e sou.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

sábado, 22 de junho de 2013

SENHOR EU TE SAÚDO

 SENHOR EU TE SAÚDO

Senhor.
Eu te saúdo nesta manhã linda,
cheia de louvores a ti.
Eu te saúdo pela minha fé e
porque dás vida a todos os seres.
Eu te saúdo pela vida e pelo amor.
Eu te saúdo pelo nosso querido e pequeno país...
que é Portugal, esta nossa pátria.
Eu te saúdo para que sejamos capazes de um sorriso
de uma delicadeza e de uma atenção para com os outros.
Afinal os outros não nossos inimigos
                              - mas sim nossos irmãos.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca 


"SER MULHER"




"SER MULHER"

Ser mulher não é ter as formas
De um corpo fascinante
É ter a beleza que o tempo transfigura
E continuar a ser especial.
Ser mulher é chorar calada as dores do mundo
Ser mulher é cair e voltar a andar
Ser mulher é saber quando o sol nasce

É conseguir encontrar uma flor no deserto
Ser mulher é ter sido escolhida por Deus
É ter os sentimentos francos
E sentir ainda o fulgor dos seus cabelos brancos

É sentir-se como criança e sonhar como uma mulher
Ser mulher é ter o brilho nos olhos, quando a noite chegar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca