sábado, 31 de agosto de 2013

ORAÇÃO - SENHOR

Senhor.
Enxuga as minhas lágrimas deste dia
Aceita todas as minhas dores e todas as minhas deceções.
Aceita todos os meus pequenos defeitos.
Quero seguir o Teu exemplo e não desistir
Aceitar tudo sem murmurar.
Ao longo da minha vida eu já encontrei
Vários obstáculos, entre eles espinhos e muros altíssimos
Sempre nas dificuldades sinto a Tua presença.
Obrigado por fazeres parte da minha vida
Obrigado pela fé, que ela que nunca me falte
Dá-me o dom de compreender e de amar

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

Baú de memórias 5


Hoje é o meu 1º dia de aulas e do meu irmão,
infelizmente a escola onde eu andei já não existe,
eram as meninas de um lado e os meninos do outro,
eu não estava habituada, foi um dia muito duro
e talvez um dos piores...
paro na rua, para ir para casa, oiço vozes que dizem,
"Vai lá para a terra dos pretos,
esta não é a tua terra, como é que tu és branca,
se nasceste com os pretos, ou então és filha de pretos,
vai para a tua terra" - diziam eles,
como vocês podem imaginar,era palavras muito duras,
para uma criança, eu era muito branquinha,
com o cabelo cor do sol, quando falavam comigo,
ficava toda vermelha, parecia um tomate,
era muito tímida e ao mesmo tempo muito selvagem,
diziam sempre: "Vai para a tua terra esta terra não é tua",
afinal Angola, era uma colônia portuguesa,
eram tão ignorantes, que nem isso sabiam,
eu era portuguesa, e sou portuguesa.!
Amo a liberdade e a natureza, isso é ser selvagem.!

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

ORAÇÃO- SENHOR

Senhor.
Neste dia que amanhece
Tu és a paz e a fonte da minha serenidade
Peço-te a bondade e a renúncia.
Quero aceitar o que não compreendo
Quero servir sem olhar a quem.
Ir além das minhas dúvidas.
Dá-me a humildade para pensar antes de agir.
Quero sempre devolver amor em qualquer circunstância
Tu estarás sempre comigo
Ainda que eu ande no meio da escuridão
Faz com que não me perca no ódio
Perdoa todas as minhas fraquezas
E Senhor se eu não tiver forças para seguir
Quero estender as minhas mãos
Sei que as Tuas estarão sempre a espera das minhas

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

QUEM SOU

 QUEM SOU

.........Quem sou eu?
Uma sombra esquecida de mim mesma
Afogada de dor, na escuridão
Desta podridão da sociedade
Consumista, corrupta
........Que sou eu?
Cada vez mais sozinha
Com medo da vida, com medo de viver
À beira do poço cheio, de água funda
........Profunda, gelada, fria.
Olho-me ao espelho e não sei
Quem sou, vejo os meus olhos,
Que não são os meus, secos, vazios
Como se visse a minha alma a arder
Nas trevas a pedir socorro, ajuda.
.........Quem sou eu ??

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

ORAÇÃO - SENHOR


Senhor.
Obrigado por seres o único
Que fica comigo quando eu mais preciso
Quero sentir-te onde eu estiver
Amar-te e obedecer-te sempre
Obrigado pela família que me deste
Eles são a minha vida, os meus amores
E pelos amigos e conhecidos
Quero pedir-te por todas as famílias
Que passam por muitas dificuldades e necessidades
Que sejamos mais solidários e amigos
Não podemos ter medo de ajudarmos
Amanhã podemos ser nós na procura de ajuda
Sejamos solidários, nunca digam não
Afinal o cheiro da rosas nunca sai das mãos de quem dá.
Sejamos generosos, não tenha medo de dar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

SENTIR AMOR

 SENTIR AMOR

Sentir amor por ti
É muito mais que desejo
Tu mostraste-me
Como posso tocar o céu
A lua, as estrelas, o por do sol
Sentir o desejo de uma paixão ardente
Onde o amor nunca está ausente
Hoje é o céu, as estrelas
A lua e o por do sol
Que já vêm até mim, todos os dias
O amor obriga-nos a sentir e existir
Só nós é que sabemos o amor que sentimos
O desejo para namorar todos os dias.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


terça-feira, 27 de agosto de 2013

ORAÇÃO

Senhor.
Que eu não tenha medo de caminhar neste novo dia
Sinto que sou um ser com defeitos e imperfeito
Eu quero entender o mundo e o meu coração
A vida não está fácil para minha família não está fácil para ninguém
Eu sei que não sou forte eu tento sê-lo todos os dias, para não cair
Eu preciso tanto da tua ajuda senhor
Já não sei mais como pedir
Eu rezo todas as noites, pedindo para tu ouvires, sei que tu ouves-me.
Eu sinto-me tão inútil, tão fraca, tão insignificante
Socorre-me, acolhe-me, abraça-me forte
Eu sei que não estou só, que tu estás comigo
Quero poder descansar e repousar nos teus braços
Obrigado porque estás comigo e por ouvires o meu pedido Senhor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

LUA

LUA

Lua, escura, vazia
Sozinha, perdida
Fria, insegura
Silenciosa, dura
Brilhante, bonita
Sedutora, romântica
No céu és a mais bela flor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

CADEIA FECHADA

CADEIA FECHADA

Esta vida é uma cadeia fechada
De grades, de arame, paredes escuras
Sentidos de dor, abafados na solidão
De caminhos de pedras,amargas
Gritos furiosos, algemas duras
Sombrias, de magoa, liberdade escondida
Dura, vazia, corrupção passiva
Gente corrompida, comprada, vendida
Sem amor à vida e sem respeito
Sem dignidade, sem Deus, donos do mundo
Miseráveis, infelizes, incapazes de amar
A não ser eles próprios, ferozes sem sentimentos
Pisam sem dó, sem piedade
Eles são os senhores da guerra, do dinheiro
Desta vida maldita, este mundo cruel quem sofre
São sempre os mais fracos
Inocentes atirados para a boca do leão
Esta vida é uma cadeia fechada e maldita
Onde não houver pão todos ralham e ninguém tem razão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


HORIZONTE

 HORIZONTE

Amanhecer
Adormeço em desespero
Em dor, em solidão,
Sinto o orvalho da manha
Pela madrugada dentro
Vagueio e vejo o horizonte
Ao longe o dia a acordar
Subo ao monte, das fragas
Das giestas, do perfume das azinheiras
Estevas, estevinhas, amieiros
Dos choupos, da agua fresca do rio
Vejo o por do sol e desejo
Que o sol brilhe dentro de mim
E pronto amanheceu meu amor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

domingo, 25 de agosto de 2013

NOITES DESERTAS


 NOITES DESERTAS

Noites de choro, noites de amor
Que ficam desertas que gritam de dor
De lamento, de pranto
Que deixam saudade, como uma prece
Do medo das noites escuras
Vazias, sozinhas
Onde dispersam e habitam as almas
E as palavras,que ficam em cinzas
Das aldeias vazias, pessoas perdidas
Da serra vazia sem alma
Fragas sem vida, caminho sem agua
Sem alma, sem história
Noites de choro que gritam de pranto
Dor e lamento, gritam de alento.
Que gemem ao vento, sentem amor
Sentem paixão, nas noites desertas
Vazias e certas da escuridão
Ficam sozinhas de dor e lamento.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

FRASE- A SOLIDÃO

A solidão torna-nos pessoas amargas e a ingratidão mata-nos a alma.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

" MEMÓRIAS"

" MEMÓRIAS"

Quando eu morrer
Os meus amigos e familiares vão dizer
Que eu era boa pessoa que
Tinha um bom coração
Alguns acredito que choraram, a minha perda
A minha ausência
E vão querer fazer-me uma homenagem


Mas com o passar do tempo
Sei que deixaram de lembrarem-se
Que eu partir, serei apenas uma lembrança
Doce ou amarga, triste ou feliz
Apenas uma saudade do passado
Por isso se amas, trata-me com amor


Dê-me flores em vida
Não quando eu morrer, dê-me carinho agora
Dá-me a tua mão, chora comigo
Sente a chuva, a brisa
O vento, o canto dos pássaros
A tempestade, as ondas do mar
Areia nos pés, a agua doce, o orvalho da manhã
A lua, o sol, as estrelas
As crianças, a terra molhada, o cheiro da erva
O perfume das flores
O aroma do café, eu só quero ser feliz
Viver, sorrir, amar
Hoje e agora, porque amanhã só Deus sabe.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca



sábado, 24 de agosto de 2013

SENHOR

 SENHOR

Senhor meu querido Jesus
Que estejas na minha alma
Sempre na minha cabeça
No meu entendimento
Nos meus olhos, no meu olhar
Na minha boca e na minha língua
O meu coração e no meu pensamento
Nos meus passos e no ar que respiro
No meu corpo, nas minhas mãos
Na minha humildade, na honestidade
Que confie sempre na tua misericórdia
Nunca me falte a fé meu Senhor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

Baú de memórias 4


Era um dia quente, quando chegamos a aldeia
Terra da minha mãe, éramos eu, o meu irmão mais velho
..........Os gémeos eram muito pequeninos
Fomos para casa dos meus avós, ficamos a morar na casa deles
Afinal não tínhamos nada, éramos uns infelizes, e acabados de chegar
A metropele vindos de Luanda, não consegui dormir nessa noite
O colchão cheirava a mofo, era feito de folhas de milho
A minha mãe chorava, e o meu pai tinha o coração despedaçado
Foram dias difíceis e muitos duros, com muita dor, muito sofrimento
Ainda hoje os sinto e me faz chorar, mal sabíamos no inferno que íamos passar


Isabel Morais Ribeiro Fonseca

.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

FRASE- SENHOR

Senhor hoje vou-te tirar da parede e voltar-te a por na minha cômoda
Assim cada vez que eu passar, vou olhar para ti, tocar-te e dizer AMO-TE.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

"SEGREDOS"

 "SEGREDOS"

Oh destino que trago da fonte pura
Estrela do fogo que arde da minha revolta
Estende as tuas mãos, que dou-te a minha alma
.........Livre, seca, pura, orgulho ferido
Não entendo os silêncios, que tu fazes comigo
.............Vazios, sentidos, magoados
Adivinhas sempre aquilo que eu não digo
Apesar disso continuo a querer ficar contigo
A transparência do orvalho, a frescura do silêncio
.............Das noites estreladas
Da brisa do vento a bater nas oliveiras
..........Ouço os meus segredos no gemer
Das aguas que correm entre os choupos.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

ORAÇÃO-SENHOR

 SENHOR

Senhor, que o nosso caminho
Seja perfumado e suave
Que cada espinho se transforme em rosas
Tu sabes que as incertezas aflige-nos
Que os espinhos fere-nos
A alma esta cheia de mágoas
As rosas muitas vezes passam
Despercebidas diante dos nossos olhos.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

NÃO SEI

 NÃO SEI

  - Não sei se é o teu olhar
Eu não sei se é o teu sorriso
Eu não sei se é a tua boca
Eu só sei que eu preciso
De um sussurrar no meu ouvido
O meu pensamento vagueia
Pela madrugada fria
De lembranças que roubam-me o sono
Feitos de castelos de pedras
Eu só quero um abraço, um toque
De um beijo quente, salgado, doce
Quero amar-te com fome de ser amada
Quero sonhar e voar
Sentir o cheiro do aroma a café
Ao acordar de manha

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


quarta-feira, 21 de agosto de 2013

ORAÇÃO-SENHOR

 SENHOR

Senhor, cada dia sinto-me mais longe de ti.
Agarra-me neste caminho de pedras e silvas.
Tenho medo de perder-me de ti
E não te reconhecer quando, tu agarrares a minha mão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

AMAR SEM LIMITES


Amar sem limites
    - é não deixar o amor ficar doente

É viver uma grande história de amor
    - uma paixão fulminante.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca





BEIJOS

 BEIJOS

Oh boca
Lábios que tanto beijei
Como um dia gostei
Hoje no entanto rejeitas
Esquecendo que te amei.


 Boca suave, fresca
Amarga, doce, salgada
Removo a minha
Alma impura e calo-me.





Lábios quentes
Salgados, doces
Grito bem alto
A estrondosa palavra, silêncio.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

terça-feira, 20 de agosto de 2013

ORAÇÃO-SENHOR

 SENHOR

Senhor, não é nada fácil perdoar ou esquecer.
Muitas vezes é necessário recomeçar.
Não é nada fácil conviver é muito difícil
Somos todos seres humanos muito diferentes
Não é nada fácil admitir um erro
É necessário muitas vezes perder para dar valor
Queria ter a sabedoria e a força de um leão.
E ter a suavidade de uma borboleta.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

SER MULHER

 SER MULHER

Ser mulher.
Ser mulher é ser frágil e ter um coração de aço
Ser mulher é ser forte e amar as flores
Ser mulher é lutar pelo que acredita
Ser mulher é vibrar por aquele amamos
Ser mulher é chorar sempre que precisa
Ser mulher é cantar para vida
Ser mulher é amar a família
Ser mulher é carregar no ventre quem ama
Ser mulher é amar a Deus sobre todas as coisas.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

QUERIDA MÃE

QUERIDA MÃE.
Mãe tu que carregaste comigo no teu ventre durante nove meses.
Mãe tu que trouxeste-me para a vida.
Mãe deste-me um cantinho dentro de ti muito quente e protegido
Mãe nos teus braços foi acarinhada com teu amor e dedicação.
Mãe o teu amor por mim, é incondicional
Mãe todos os dias proteges-me e acaricias-me.
Mãe tu conheces-me por dentro e por fora.
Mãe tu sabes quando estou triste.
Mãe a tua força fortalece-nos.
Mãe obrigado por ter nascida do Amor.
Mãe amo-te e obrigado por seres minha mãe.
Senhor abençoa a todas as mães nem sempre as podemos ter ao nosso lado.
Que maravilha é ter uma mãe...
Querida Mãe !

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A TRÁS DOS MONTES

A TRÁS DOS MONTES

Trás-os-Montes
Terra fria, gelada
Com mantos negros de lã
Sente-se amor
Sente-se a morte
Vence-se o luto
Das noites escuras
Da dor das gentes
Cravos espetados
Sentimentos singelos
Inocentes,marcados
Lágrimas perdidas
Amargas e sentidas
Terras geladas e frias
Quentes como as castanhas.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

"CAFÉ DA MANHA"

 "CAFÉ DA MANHA"

Não sei se é o teu olhar
Eu não sei se é o teu sorriso
Eu não sei se é a tua boca
Eu só sei que eu preciso
De um sussurrar no meu ouvido
O meu pensamento vagueia
Pela madrugada fria
De lembranças que roubam-me o sono
Feitos de castelos de pedras
Eu só quero um abraço, um toque
De um beijo quente, salgado, doce
Quero amar-te com fome de ser amada
Quero sonhar e voar, sentir o cheiro
Do aroma a café, ao acordar de manha.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

CAVALEIRO

 CAVALEIRO

........Sou um cavaleiro
Um viajante perdido
..........Sozinho, vazio, com alma
.Só no teu corpo quero encontrar
.....A minha estrada, o meu caminho
Para reconstruir e recomeçar a viver
........Sou o teu cavaleiro que te aquece
Nos dias frios sem sol, nas noites escuras sem lua.


Isabel Morais Ribeiro Fonseca

domingo, 18 de agosto de 2013

CHORAM AS ROSAS

 CHORAM AS ROSAS

As rosas choram de amor
Choram de solidão
Choram de dor
Choram as rosas como
Chora a minha alma
Sou  como um pássaro livre
Nos meus sonhos
Procuro-te, encontro-te, amo-te
Chora minha alma
Choram as flores
As gotas de agua são lágrimas de amor
Choram as rosas no meu jardim.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 

ORAÇÃO-SENHOR

 SENHOR

Senhor, meu querido e amado pai
Entrego-te o meu coração
Os meus sentimentos, as minhas emoções
A minha vida está nas tuas mãos
Por isso se houver tristeza, medo
Solidão e dúvida, ajuda-me e perdoa-me
Pelas muitas vezes, que não tive discernimento
Que tomei decisões más
Quero parar por um instante
E notar quantas coisas boas acontecem na minha vida
Agradecer-te meu querido Pai por tudo.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca