segunda-feira, 29 de julho de 2013

MORTE

 MORTE

Ó morte que estás à espreita
Tenho o meu amor à espera
Por isso não esperes por mim.


Isabel Morais Ribeiro Fonseca

" PORTUGAL "

 "PORTUGAL"

O Portugal, os lobos são muitos
Os lúcidos são poucos
Ninguém sabe o que quer
Ninguém conhece que alma tem,
Tudo é incerto, nada é verdadeiro
Tudo é disperso, nada é inteiro
Nada é certo, tudo é imperfeito
Hoje és nevoeiro, tempestade, vento
Meu amigo, sem alma , sem amor
Sem rei, nem lei, sem brilho, sem luz,
Dos palácios comidos de mofo, escuros
Vazios, vagueiam as almas, sem paz
Como os mendigos esfomeados e sujos
Como o silêncio hostil da saudade
Arder de frio, morto em cinzas
O Portugal meu amigo, meu irmão
Os lobos são muitos, os lúcidos são poucos

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

"NAVEGAR"


 "NAVEGAR"

Querer navegar no teu corpo
É perder-me neste oceano de amor
Querer escutar a tua voz na escuridão
É abrir as portas do meu coração
Querer amar-te toda a vida
É partilhar a mesma cama e o mesmo desejo
É respirar da tua boca o brilho dos teus beijos
É gritar e tatuar no meu corpo e na minha alma, a palavra amo-te.
Quero o néctar dos teus lábios e adormecer a navegar no teu corpo.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

SINTO-TE

 SINTO-TE

.....Sinto o teu perfume no ar
Sinto o teu amor nas flores
.........Na areia da praia
Na brisa do vento, no por do sol
........É como um rio, que corre para o mar
Sinto o teu perfume na chuva
..........Na neve, nas rosas e orquídeas
Queria ser uma sereia para viver no mar
.........Sinto o teu amor, como amo o mar..."Amo-te"

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

"CAMINHO CONTIGO"

 "CAMINHO CONTIGO"

Caminho contigo descalça pela praia
Sinto o calor da areia
E o meu pensamento em ti
Recordo com muita saudade
Todos os momentos maravilhosos que vivemos
Todos os sentimentos que partilhamos
A nossa vida não foi fácil
Mas o nosso amor foi sempre mais forte
Quero aproveitar cada segundo que tenho
Para poder caminhar este caminho que escolhi contigo
Que sejas meu até ao fim dos meus dias
Juntos caminhamos e vamos saboreando a brisa do mar

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

domingo, 28 de julho de 2013

AMAR

 AMAR

Amar é ter o brilho dos teus olhos
Amar é querer estar sempre contigo
É sofrer à distância é ter a necessidade de gritar
O teu nome e escrevê-lo nas as árvores
Amar é sentir este fogo por dentro
É inflamar o coração deixando-o em brasas
Amar é sentir-te sempre em todas as partes
Amar é desejar os teus lábios salgados
É delirar com as carícias e sonhar contigo
É acordar a pensar no teu sorriso, mesmo num dia de frio e nublado.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

AMO-TE MEU AMOR

 AMO-TE MEU AMOR

.......Amo-te meu amor
A única certeza que eu tenho
E que eu quero é que me dês um abraço
Que recordes sempre do nosso primeiro beijo
Que não esqueças do nosso aniversário
Que nunca esqueças da nossa primeira noite
Que cuides de mim quando eu não estiver bem
E quando eu mais precisar de ti amor
Que estejas ao meu lado em todos os momentos
que não me critiques e não me julgues, pois não sou perfeita.
Quando eu estiver triste, faz-me sorrir e ama-me com carinho.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

RIO SABOR

 RIO SABOR

Rio selvagem, rio Sabor.
Corre lentamente e devagarinho
As águas do rio, pelos vales
Montanhas, lameiros, entre giestas e choupos
Correm como as almas, que sentem a escuridão
Nas águas geladas do rio
As mulheres que choram, de dor e saudade
Que querem sair da escuridão e da solidão
Corre lento e devagarinho, o rio selvagem e puro
Com as dores daqueles, que sentem a perda de alguém.
Corre o rio entre as fragas e pedras
Com o sofrimento, daqueles que não conseguem, sair do seu leito
que ficam nas margens, com o frio e triste
Estão as  almas,que ninguém as quer, sozinhas abandonadas
Neste rio, que corre lento e devagarinho
Com a saudade dos vivos e dos que partiram para longe
Ficaram sozinhas as almas, na água pura e fresca do rio
Que corre lento e devagarinho.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

sábado, 27 de julho de 2013

I Baú de memórias.

I Baú de memórias.
Os jipes e os camiões param,
em frente da nossa escola ,
ouço os gritos dos meus colegas,
estão a ser levados à força,
por homens fardados e armados,
nós estamos escondidos a ver,
os homens  levam as crianças,
para os camiões,elas gritam e choram,
ouço disparos,são os nossos soldados,
que vêm ao nosso socorro,
eles fogem e levam os meus colegas da escola,
para o mato, para a selva.!
Isabel Ribeiro Fonseca.

ORAÇÃO.SENHOR

 SENHOR

Senhor, tenho saudades do nosso cantinho
Onde eu choro,  rio, falo contigo
Onde sentada ou ajoelhada
Sinto-me muito bem, no sacrário
Da minha querida igreja de Arroios
Esse cantinho muito especial, juntinho a ti, meu querido Jesus.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

CARINHO

 CARINHO

........Amo-te e beijo-te
A chuva cai e as gotas de água
........Que caiem no meu rosto
São as lágrimas de amor
......Dor e saudade.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

SINTO NOJO

 SINTO NOJO

Sinto nojo dos violadores e dos pedófilos sejam padres ou homens comuns
Deviam ser todos castrados ou capados e fechados no inferno.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

ABRAÇOS

ABRAÇOS

......Quero sentir um abraço
Profundo e longo
.........Como o teu amor
Sentir o teu beijo como um rio doce e amargo.
A tua pele é perfumada e macia
.........A  tua boca é suculenta e fresca
Amar-te é sentir o perfume suave da nossa paixão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

Memórias de Menina

Era um cavalo imponente, brilhava com o sol.
Corro pelos campos de trigo com o  meu cavalo,
chego a casa, lá está o meu pai com o cinto,
já tinham ido fazer queixinhas minhas e do meu cavalo.
Isabel Ribeiro Fonseca

quinta-feira, 25 de julho de 2013

FRASE- Gosto de observar-te


Gosto de observar-te
    - olhar nos teus olhos em silêncio.

 Isabel Morais Ribeiro Fonseca



"SIM À VIDA, NÃO AO ABORTO."

 "SIM À VIDA, NÃO AO ABORTO."

Somos a vida, não a morte, somos de Deus,
Só ele decide quem morre, quem vive
Somos do mundo, somos amor
Cada criança que nasce é uma prova de que Deus,
Nós ama e que ainda não perdeu
As esperanças, em relação a nós
Por favor não matem as crianças elas são a bênção
De todo de bom que Deus nos deu 

"SIM À VIDA, NÃO AO ABORTO."

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.

SORRIR AMAR

 SORRIR AMAR

Quero sorrir, amar, viver
Porque não tenho tudo
Mas não me falta nada
Sinto-me amada e sei viver
Dos meus poemas que guardo
Do cheiro do café, das manhãs doces
Da terra molhada depois da chuva
Das ruas desertas de madrugada.
Das noites em que o silêncio tem o tom
De um poema feliz e triste de amor
As horas que envelhecem, ganham pó
Ganham asas, ganham sorrisos
E eu e tu no silêncio de mãos dadas
Só um resto de amor e paixão
Que ninguém sabe que existe ou existiu
Sinto falta de tudo, de nada.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

FRASE.-TRISTE


 Sinto-me triste
  - vazia como o deserto sem água.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

"PICAM AS SILVAS"

 "PICAM AS SILVAS"

Noites de amor
........Silvas que picam
Amoras colhidas
.........Doces amargas
Quentes e frias
.......Como a vida
Suave perfume
.........Sobre a paixão
Noites estreladas
........Noites gemidas
Silvas que picam
.....Sem amor, sem paixão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Senhor ajuda-me a transformar-me

Senhor,
Ajuda-me a transformar-me
Numa mulher de oração e de fé
Ensina-me a rezar, perdoar e amar
Rezar é confiar na tu resposta
Que és tu meu Deus e Senhor
Ensine-me a rezar pelo meu marido, pelos meus filhos
E a fazer das minhas orações, um caminho.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

Sopra o vento e com os grãos de areia..


Sopra o vento
E com os grãos de areia
Tapamos os olhos
Não queremos ver
Somos vendidos
Explorados
Humilhados
Ignorantes
Enjaulados e pobres.
Matamos os filhos
Lindos e belos
Matamos a alma
O corpo, a mente
Andamos a deriva na tempestade
Matamos a dor
Da saudade com o tempo.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

SEREIA PERDIDA

 SEREIA PERDIDA

Lá vai a sereia perdida
Anda à deriva num barco
Sem rumo, nesta tempestade
De amor e de desilusão
Levando consigo um coração
Frio, gelado, com medo das palavras

Servir,  partilhar, verdade
Liberdade, amigo, sorrir
Falar, ouvir, dialogar
Compreensão, confiança
Compaixão, ternura, amar.

Anda à deriva, a nossa sereia
Neste barco sem rumo
Com medo das palavras fortes
Que tocam o coração gelado
Que derrete com medo.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

terça-feira, 23 de julho de 2013

"LUAR SEM DESTINO"

 "LUAR SEM DESTINO"

Vagueio, sem destino é de noite
Olho a praia
E o meu pensamento vagueia
A pensar em ti
Como eu gosto observar-te
Tocar-te, beijar-te
Acariciar-te, amar-te
Sinto a brisa fresca no meu rosto.
Oiço as ondas e vagueio de novo
Que saudades do teu sorriso
Das tuas mãos, do cheiro da tua pele
Do gosto da tua boca
Dos teus abraços e do teu aconchego
De falar, de rir, do silêncio, do teu olhar.
Sinto a areia nos meus pés
Dou por mim a rir à gargalhada
Com o ar mais feliz do mundo
A pensar nos nossos momentos
Nas nossas conversas e da tua voz
Vagueio com destino, é de noite.
  
Isabel Morais Ribeiro Fonseca


O NOSSO QUARTO .


O nosso quarto
   - É uma orquídea
Onde saciamos o corpo
   - Matamos a sede
Descansamos a mente
    - É um jardim encantado.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

segunda-feira, 22 de julho de 2013

MEU AMOR

 MEU AMOR

Meu amor, minha, loucura, minha vida
Quando eu não estiver mais aqui
Meu amor, eu serei uma estrela
Serei o mar e as suas ondas
A luz do sol e a tempestade
O teu caminho, a chuva e o vento
O perfume das flores, a brisa do deserto
Serei o teu sorriso, as tuas lágrimas
Os teus sonhos, a tua noite
O teu abraço, estarei no teu coração
Para dizer-te, amo-te loucamente
 Meu amor quando eu não estiver mais aqui
Olha para as crianças e verás o meu cabelo
O meu sorriso, os meus olhos, a minha boca
 
Meu amor quando eu não estiver mais aqui
Rega as flores que crescerão normalmente
Sente o seu perfume, o aroma da relva molhada
O orvalho da manha, vê a lua
Vê os pássaros que voarão livremente
As pessoas nem sentirão, a minha ausência
Elas seguirão os seus caminhos felizes
Ou infelizes só depende delas
E eu terei somente uma certeza
De que estive aqui sempre ao teu lado
Amei-te loucamente e fui muito feliz
Meu amor, nunca deixes de amar e de viver
Eu estarei sempre contigo no teu coração
Amo-te meu amor forever

 Isabel Morais Ribeiro Fonseca


ALMA GÊMEA


ALMA GÊMEA

Tu és a minha alma gêmea
O meu eterno amor
E ao ver a chuva cair
Sinto vontade de ir para a rua
Molhar-me sentir a agua a correr
Como as lágrimas que insistem
Em cair dos meus olhos de tanta felicidade
Ao acordar abro a janela do quarto
Olho para o céu e digo bom dia
Senhor obrigado por amar e ser amada.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca




MELODIA



MELODIA

Sinto a tua falta
Esta dor do teu silêncio
A falta da melodia da tua voz
Dos momentos que passamos juntos
Tão nossos e que desapareceram
Sinto a falta dos teus mimos
E dos teus beijos.
Sinto falta do teu amor
Não tens a noção da dor
 -  Que me causa a tua ausência .

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

Senhor és a minha fonte de vida...

 
Senhor.
És a minha fonte de vida
Onde eu preciso e quero beber todos os dias.
Tenho fome da tua presença e anseio por ti.
Tenho sede de ti, tu és o meu sustento
A Tua palavra é o meu alimento
Preciso do teu amor e da tua misericórdia
Vou mergulhar nas águas e saciar a sede da minha alma.
Não Deixes o teu rio levar-me para o deserto da minha solidão.
Tudo vai mudar com teu perdão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

domingo, 21 de julho de 2013

Senhor tudo em mim


Senhor tudo em mim
São como os dias de tempestades
Por isso entrego-te a minha alma
A minha solidão
Leva-me para as águas intermináveis dos mares
Revoltos e tristes
Tu sabes que sou um ser imperfeito, com defeitos
Ainda que a minha alma tenha partido
Para a imensidão do infinito ou para o abismo
Solitário que amedronta-me.
Eu sei que Tu estás comigo Senhor
Por mais que eu fale e tenha medo de caminhar
Sei que posso descansar e repousar nos Teus braços.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

"ÁGUAS DO RIO"

 "ÁGUAS DO RIO"

A brisa da noite são as lágrimas
Que eu queria chorar e não consigo
Sinto o meu corpo vazio e cheio como o mar
São as horas sombrias e na escuridão
Amargura dos meus dias, são as palavras afiadas
Que fazem abrir as feridas dos sentimentos e no coração
.............São as águas do rio
Que correm para o mar com direito a naufragar
São lágrimas que não choro desta fonte limpa e pura
São horas que imploro e os dias que já custam a passar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


JANELA MINHA

 JANELA MINHA

Da minha janela cai
 -  a chuva dos meus olhos
São as lágrimas que choram
  -  de saudade por não te ver.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

sábado, 20 de julho de 2013

MOMENTOS MARCANTES..

MOMENTOS MARCANTES

As lembranças são momentos marcantes
.........Que são muito difíceis de esquecer

Como posso não lembrar-me do teu beijo
.........Do cheiro da tua pele

E das juras de amor que eram para sempre.
......Quero lembrar-me dos nossos momentos de amor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca