quarta-feira, 24 de julho de 2013

Sopra o vento e com os grãos de areia..


Sopra o vento
E com os grãos de areia
Tapamos os olhos
Não queremos ver
Somos vendidos
Explorados
Humilhados
Ignorantes
Enjaulados e pobres.
Matamos os filhos
Lindos e belos
Matamos a alma
O corpo, a mente
Andamos a deriva na tempestade
Matamos a dor
Da saudade com o tempo.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca