quinta-feira, 22 de junho de 2017

AMOR 💘


AMOR 💘

Morri para viver
Ao sabor do tempo
Andei, andei fugida
No lamento do desgosto

Morri na escuridão
Na vareda do silêncio
Cantado a minha dor
Pedaço de alma sofrida

Morri esquecida de mim
Nas lágrimas já secas
De um poeta perdido
Onde renasci num poema

Morri num velho livro
Quando por ti sufocava
Matei-me sem querer
Por não saber viver sem ti.


Isabel Morais Ribeiro Fonseca


terça-feira, 13 de junho de 2017

A NOITE



A NOITE

O sabor da nossa paixão está em nós
No camarão com mel, limão e malagueta
Quero ir além agarrar-me nos teus olhos
Cavalgar no ratatouille de sabor caseiro
Quero o prato cheio de comida picante
Ardente de desejo, desejo esse que sinto por ti
Entre o cheesecake de chocolate e pimenta
Quero embriagar-me na tua boca e mergulhar
No teu corpo quente de creme de brulle de gengibre
Sugar o mel do teu corpo numa bebida quente, fresca
Coktail green day ou Caipirinha de ameixa com hortelã
Quero fazer borbulhas de sabão em pecados proibidos
Beber um café com raspas de chocolate e canela
Saciar os meus sonhos e afogar os meus medos contigo.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
.•*¨`•LOVE
  ¸.•*¨`•
¸.•*¨) ¸.•*¨
(¸.•´(¸. * 🎀<>..,,'''~
。※* 。 。 * ※ 。
*  🎀  '.*
'。 .'
'*。 .* t
'*。 。*'
※LOVE


sábado, 3 de junho de 2017

HOJE

HOJE

Sem pedir o meu ódio fugiu
Com a água o meu sangue diluiu
Mas o rancor matou-me novamente
Não apenas a mim mas a um grande amor
A terra que está sedenta de sangue
E o punhal que em mim cravou
Deixou uma chaga aberta no peito
Quando por fim fiquei enlouquecido
Senti-me esquecido, perdido talvez
Neste viver onde encontro-me sem fé
Sem honra, sem esperança, sem compaixão
Decidi que não mereço ser quem sou
Uma pobre alma que vagueia sem rumo
A cambalear pelos montes de fragas
Vestindo-se de giestas, de folhas verdes.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca