quarta-feira, 26 de junho de 2013

NOITES SENTIDAS

 NOITES SENTIDAS

Há noites que as lágrimas sentidas
São do coração e das mãos vazias
Das horas vividas e passadas
Invasão de sentidos e sonhos
De um ser que quer dormir
Do sono que esqueceu-se de vir
Um pobre corpo que implora o sol da manhã
E sente a chuva a cair do céu
Há noite a alma e o corpo descansam
Com os desejos contidos nesta noite triste perco
A emoção e os meus passos é só vazio e solidão
Neste pobre coração.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca