quinta-feira, 17 de novembro de 2016

MURO VIRTUAL


MURO VIRTUAL

Somos um corpo
Que por vezes sente
Outras nem sabe disso
Que pergunta tantas vezes
Para quê sentir
Para quê perceber
Para quê amar
Vivemos cercados
De altos muros virtuais
Com medo de viver
Onde paro e me deparo
Vivo, sobrevivo
Sinto, pressinto
Choro, consolo
Paixão, desejo
Amo, odeio
Ouço, ignoro
Fé, oração
Grito, silêncio
Agito e acalmo
Entrego, roubo
Beijo, abraço
Deus, amor
Permito, expulso
Faço, desfaço
Alma, coração
Procuro a saída
Deste muro virtual.

✿♥ღ✿♥ღ✿

Isabel Morais Ribeiro Fonseca