terça-feira, 25 de março de 2014

"PERFUME"

" PERFUME "

Sinto um perfume que é só meu
Não me deixes alma louca
Amarga e triste esta a noite
Escura como um véu de uma viúva
Sina lida na palma da mão
De um amor que se perdeu.
Na madrugada
Quando a dor adormeceu
Fui amada e tão desejada
Que a noite desapareceu
Na forma de um sorriso
O paraíso e a ternura, renasceram
Sinto um perfume que é só teu
Num paraíso só meu.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca