domingo, 1 de setembro de 2013

"LUA CHEIA"

 "LUA CHEIA"

Descem os lobos à aldeia
Em noite de lua cheia, uivam ferozmente
Fecham-se as portas, as janelas das casas
Com medo da alcateia, quando na verdade
Fechamos as portas à vida
Às gentes que nos pedem ajuda
Somos egoístas, maus de caráter

 

Temos medo de tudo e de todos e não é dos lobos
Sente-se o cheiro da lenha a arder
Das lareiras cheias de gente ou vazias do nada
Se tiver de morrer,  morro de pé
E não subjugada a mentes hipócritas
Falsas com o coração de pedra
Pessoas que fazem as coisas
Ou dão com segundas intenções
Maldosas e muitas vezes ignorantes



De si próprias, que gostam de humilhar
E escravizar os outros
Descem os lobos da serra à aldeia
De noite, à chuva , ao vento
Ficam as marcas na neve, como punhais
Que deixam feridas no peito e na alma.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca