terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

❀PERDI-ME DENTRO DE MIM 🍁


PERDI-ME DENTRO DE MIM


Perdi-me dentro de mim
Num labirinto de guilhotinas
Pelos caminhos já doentios
Nos corredores de roxidão
Onde as fragas resvalam
Em procissão de mordidos
Sentimentos, na revolta
Que sinto na alma entre
Os crepúsculos que sangram
O meu corpo doente, luto
Com a ferocidade do que sinto
Mas ferem-me os olhos de lágrimas
Num turbilhão de gumes afiados
Sangram-me os sentidos que desce
A minha pobre alma com pavor
Como se de uma droga se tratasse
Talvez o ópio do inferno
Ou ainda morfina para esquecer
As dores que sinto no corpo
Já que a alma chora de tão pura
Que se encontra, maldita droga
Esta que me faz andar nos calabouços
Do inferno onde me encontro
Grito mas o meu grito, ninguém o ouve
Perdi-me dentro de mim próprio
E agora quem me salva
Ou será que quero ser salvo, já não sei
Sei que sou alguém perdido num labirinto
De afiadas guilhotinas no inferno.
❀❀🍁❀❀🍁
🍁Isabel Morais Ribeiro Fonseca