quarta-feira, 22 de março de 2017

SENTIMENTO


SENTIMENTO

Não pude ocultar
As lágrimas que caíam dos meus olhos
Sentindo cada gota do meu sangue
Afogando na noite o escuro sombrio
Rememorando um amor intenso inesperado
Que nasceu no meu peito de repente
Do meu quente corpo junto ao teu
Neste meu jardim de pétalas soltas pelo vento
Em forma de asas do tempo que é só nosso
Já não sou eu quem te ama mas sim o meu espectro
Morreu o meu corpo e a minha alma falece como uma flor seca
Sem sentimento ou dor, o meu coração já partiu
E quem o matou foram as rosas escondidas entre as camélias
Mas quem o salvou foi a lua cheia, luar que visitava o teu o meu jardim.



 🍃🌺🍃🍃🌺🍃¯˜"*°••°"˜¯``🍃🌺🍃🍃🌺🍃







🍃🌺🍃🍃🌺🍃¯˜"*°••°"˜¯``🍃🌺🍃🍃🌺🍃


Isabel Morais Ribeiro Fonseca