quarta-feira, 10 de agosto de 2016

MEL DE TI


MEL DE TI

Gosto imaginar-te na
Minha poesia escrita
Moldando-te em versos
Com as minhas mãos
Tecendo o teu corpo
Com os olhos da caligrafia
Esculpindo as tuas mãos
Em rosas de argila molhada
Cosendo a minha boca
Sentindo o calor dos teus lábios
Plantando jasmim perfumado
Na tua pele com a minha
Lírico poema de fogo que
Queima na minha doce alma
Escrevo com camélias que
O meu coração será sempre teu
Habitas no meu corpo
Na minha respiração, no meu ser
Imagino a poesia, apenas
Para possuir o mel da tua boca.

ڿڰۣ♥ڿڰۣڿڰۣ♥ڿڰۣڿڰۣ♥ڿڰۣ

Isabel Morais Ribeiro Fonseca