sexta-feira, 17 de abril de 2015

"SOMOS ESCRAVOS"

"SOMOS ESCRAVOS"

Resplandecente dor neste deserto de luz
Paira no ar como a brisa do mar
Escravos condenados a trabalhos forçados
Pagam a casa, o carro, a escola dos filhos
Vivem muitas vezes em selvagens conflitos
Sentam-se à frente da televisão
Almas almejadas, egoístas e fracas
A viver, sem viver. O ingrato sacrifício
Vidas com espadas, choques em ferro armado.
 
Isabel Morais Ribeiro Fonseca