quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

MANHAS DE FRIO

MANHAS DE FRIO

Inverno frio
Chega de mansinho
Manhãs ensolaradas
De ventos suaves.
Noites melancólicas
Voam em pensamentos
Procuram um momento
Uma lembrança.
Essência de amor
Ausência de dor
Alma que se desnuda diante da paixão.
Quatro paredes quentes
Doces de ternura
Adorno dos teus beijos
Mimos e sorrisos.
Adormeço no dias longos
Horas lentas
Como um rio que transborda de agonia.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca