segunda-feira, 12 de agosto de 2013

UIVAM OS LOBOS

UIVAM OS LOBOS

Uivam os lobos
Na serra, no monte
Comem as ovelhas
Com que matam a fome
Caçados sem dó nem piedade
Abafados, fechados
No silencio da noite
Ninguém sabe, ninguém viu
Uivam os lobos na serra
No monte, canta o galo
Em cima do telhado
Maldito azarado
Que chamou o dia
Frio e fresco
Das aldeias perdidas com gente
Saudade perdida, morte sem vida

Isabel Morais Ribeiro Fonseca