sexta-feira, 16 de agosto de 2013

FRIAS TERRAS

 FRIAS TERRAS

Das terras frias
Geladas, tristes
Dos mantos negros de lá
Sente-se amor e morte
Vencesse o luto
Noite escura
Abraços longos de dor
Cravos espetado no peito
Sentimentos singelos
Inocentes
Marcados, sentidos
Lágrimas, perdidas
Amargas e doces

Isabel Morais Ribeiro Fonseca