sexta-feira, 19 de julho de 2013

MURMÚRIO SÓ

MURMÚRIO SÓ

Chora o murmúrio do rio
Gelado e frio sem coração
Oiço as mulheres que lavam
  - A roupa no rio
Choram de saudade
 - De amor e paixão
Com as saudades das noites quentes
E frias que faziam amor
Agora sentem o vazio no seu coração.
  - Os homens que chegam a noite
Já consulados, adormecem sem saberem
O calor da paixão, que as suas mulheres
Os esperam com saudade e amor
     - Eles esqueceram
Que o calor da suas casas é sempre melhor
Que um corpo gelado, vazio, sem amor ou paixão.
Lá está o murmúrio do rio que chora e geme
   - De frio sem amor ou paixão
Onde matamos a sede do corpo, da alma,
Da nossa razão, corre rio, frio e gelado, vazio
Sem as lembranças, dos aromas perdidos
Choram as mulheres de saudades do perfume das flores.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca