segunda-feira, 27 de maio de 2013

Senhor agora que as vozes

Senhor.
Agora que as vozes silenciaram-se
Aqui ao pé da cama
Deposito nas tuas mãos a minha fadiga
E toda a minha luta
Nesta noite quero entregar-me ao sono
E sentir na minha alma
Toda a segurança da tua infinita misericórdia
Obrigado por dormir feliz nos teus braços.
Amo-te com todas as minhas forças
Com todo meu coração

Isabel Morais Ribeiro Fonseca