sexta-feira, 21 de outubro de 2016

DESPEDIDA


DESPEDIDA

Em cada despedida há um adeus
Na incerteza de um novo encontro
Da ansiedade que suspende-se na alma
Morremos, rezamos, rogamos, suplicamos
Amamos a esperança que é eterna
Imploramos ao tempo que a saudade
Nos cure deste maldito tormento
Imploro-lhe a paz que as ausências
Sequestram os nossos desencontros
Que da vida afasta-nos por mera abstração
Da mente doente que envolve as emoções
Talvez com o vinho entre as ruínas
Que habitam estas quatro paredes
Embalsamemos com as pinceladas de cores
Num duelo na sombra explorando a noite
Em cada despedida em cada adeus.

❤╰⊱♥⊱╮❤

Isabel Morais Ribeiro Fonseca