domingo, 11 de janeiro de 2015

TODAS AS NOITES...

Todas as noites
Abro a porta a minha alma com o fogo
Deixo que no silêncio da noite
O meu corpo seja um regaço de pétalas
Que o meu olhar entre nos livros da minha solidão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca