domingo, 29 de junho de 2014

CHORA OU CHUVA

 CHORA OU CHUVA

Não sei porque choras.
Choras ou chove.
De um tempo tão distante.
Passado errante.
Tristeza por definir.
Recordação que me faz sentir.
Lembro, recordo
De tantas, tantas coisas
Que foram, ou não foram
Chuva ou choro
Porque, porque tive tanto medo.
Resta o infortúnio
Infortúnio do que não foi.
Talvez seja, por medo do que podia ser.
Será tudo tempo, tempo
Como cada chuva tem o seu momento.
Momento, gotas soltas, caídas no chão.
Será chuva ou choro.
Será, do tempo distante
Passado, presente
Por medo do tempo.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca