domingo, 21 de julho de 2013

Senhor tudo em mim


Senhor tudo em mim
São como os dias de tempestades
Por isso entrego-te a minha alma
A minha solidão
Leva-me para as águas intermináveis dos mares
Revoltos e tristes
Tu sabes que sou um ser imperfeito, com defeitos
Ainda que a minha alma tenha partido
Para a imensidão do infinito ou para o abismo
Solitário que amedronta-me.
Eu sei que Tu estás comigo Senhor
Por mais que eu fale e tenha medo de caminhar
Sei que posso descansar e repousar nos Teus braços.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca