domingo, 26 de maio de 2013

ESPINHOS

 ESPINHOS

Quantas vezes
As pessoas que conhecemos
Nos ferem como se fossem espinhos
Que enterram-se pela nossa carne
A dor é tão grande

Que até temos medo de acreditar
Nas boas intenções das pessoas
Elas deixam sempre uma pequena dor
Muito difícil de passar e esquecer

Isabel Morais Ribeiro Fonseca